Notícias

Turistas movimentam comércio no Boulevard Olímpico

Sucesso de público e de vendas, novo atrativo turístico movimenta a cidade e aumenta faturamento de comerciantes da região

  • Publicado: Quarta, 07 de Setembro de 2016, 07h51
  • Última atualização em Quarta, 07 de Setembro de 2016, 08h37

Por Geraldo Gurgel


Boulevard Olímpico. Foto: Diego Campos

A Paralimpíada no Rio de Janeiro terá início nesta quarta-feira (07) e a expectativa é de que o Boulevard Olímpico, localizado na Zona Portuária do Rio de Janeiro, volte a ser palco do encontro das torcidas que irão acompanhar as mais de 500 provas em 28 modalidades na competição. Durante a Olimpíada, o local recebeu o espantoso número de quatro milhões de visitantes, o que provocou um aumento significativo no comércio da região. O trecho revitalizado de mais de três quilômetros é o exemplo típico de como o turismo gera emprego e renda. A programação cultural entre os dois períodos de jogos e a grande concentração de atrativos, como o Museu do Amanhã, tem multiplicado os negócios dos prestadores de serviços e comerciantes instalados na área.

A área renovada está tomada de atrações, entre elas a Casa Brasil, que já recebeu mais de 360 mil visitantes. A nova área de lazer é ponto de encontro de turistas brasileiros e de outras nacionalidades no centro do Rio de Janeiro. O espaço de passagem de trabalhadores pelo centro da cidade se transformou em atrativo e área de concentração e turistas. Com os novos clientes, o faturamento das lojas em um único dia chega a dobrar e até triplicar. Até o horário de trabalho mudou para atender a demanda dos turistas e ampliar o faturamento.


Casa Brasil. Foto: Paulino Menezes
 

O dono de restaurante, Hugo Couto, conta que desde que a área começou a ser revitalizada é só alegria. Uma mesa na calçada com degustação de caipirinha para quem passa na porta do restaurante é o chamariz de turistas. Se antes o comércio abria apenas para o almoço, desde o início de agosto ele viu o negócio crescer com os turistas olímpicos. “Crescemos as vendas em 60%. Apesar do recesso das empresas, em função dos jogos, os turistas supriram a falta dos clientes tradicionais. A procura até superou nossas expectativas”, relata animado.

Por conta do aumento da clientela, o restaurante de grelhados passou a servir jantar e contratou novos funcionários para atender a nova demanda. “Espero que o Boulevard se torne um atrativo com eventos permanentes e possamos manter o horário noturno após a Paralimpíada”, diz.


Casa Brasil. Foto: Paulino Menezes
 

Já no calçadão, por onde transitam milhares de turistas e cariocas diariamente, os Food Trucks continuam com filas. Em um deles são vendidas mais de mil empanadas argentinas por dia. A gerente Brena Lima disse que nem a matriz do negócio, no bairro da Gávea, área nobre do Rio, supera as vendas no Boulevard. “Foi o nosso melhor evento até hoje. Espero retomarmos o pique de vendas com os jogos paralímpicos”, disse. Os turistas argentinos estão entre os que mais contribuem para formação de longas filas no caixa.

A região da zona portuária Carioca tem tudo para se afirmar como ponto turístico, mesmo após os jogos. O local já abriga, entre outros atrativos permanentes, os museus de Arte do Rio (MAR), além da Igreja da Candelária e das praças Quinze e Mauá de onde partem e chegam as balsas que cruzam a Baia da Guanabara. Vale lembrar que durante a Olímpiada, a gastronomia foi avaliada positivamente por 93,6% dos turistas estrangeiros, segundo pesquisa do Ministério do Turismo.