Notícias

O Rio de braços abertos para a Tocha Paralímpica

A chama visitará bairros e as praias mais famosas da Cidade Maravilhosa, o mais visitado destino de lazer do país

  • Publicado: Terça, 06 de Setembro de 2016, 11h18
  • Última atualização em Terça, 06 de Setembro de 2016, 18h23

Por Walquíria Henriques

Crédito: Divulgação Embratur

A Tocha Paralímpica chega ao seu destino final nesta terça-feira (6) depois de passar por cinco cidades representantes das regiões brasileiras. É a vez do Rio de Janeiro receber o revezamento, que começa um dia antes da cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, no estádio do Maracanã. 

Igualdade, em Brasília (DF); determinação, em Belém (PA); inspiração, em Natal (RN); coragem, em Joinville (SC) e o poder de transformação, em São Paulo (SP). Foram esses os valores levados pela tocha para cada pedaço do Brasil. No Rio de Janeiro, onde o revezamento prossegue no dia 7 de setembro, Dia da Independência, a chama representa a paixão pelo esporte.

No Rio, o símbolo Paralímpico parte para o revezamento do mais novo cartão postal carioca: o Museu do Amanhã, situado na revitalizada zona portuária. Afinada com os jogos, o espaço terá programação especial voltada para os temas acessibilidade e inclusão até o dia 18 de setembro, quando o evento termina.

Museu do Amanhã na Praça Mauá. Crédito: Paulino Menezes

A boêmia Lapa e os bairros de tradição no samba, como Vila Isabel e Madureira, berço das escolas de samba Portela e Império Serrano estão no caminho da tocha Paralímpica. Madureira, bairro cantado em prosa e verso, é sede também do Parque Olímpico, um dos atrativos de grande repercussão com a realização da primeira olimpíada da América do Sul.

Como não poderia deixar de ser, o Cristo Redentor, marca registrada do Rio e também do Brasil, será palco de um grande evento pela passagem da tocha. A chama passará também pelos bairros das praias mais famosas do Rio: Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Leblon, Ipanema e Copacabana.

A cidade do Rio de Janeiro está presente no Guia Turismo Acessível do Ministério do Turismo. São mais de 1,4 mil empreendimentos, meios de hospedagem, atrativos e eventos cadastrados, aguardando a avaliação dos usuários de serviços turísticos.

Guia de Turismo Acessível - O Ministério do Turismo investiu nos últimos anos mais de R$ 75 milhões em obras de acessibilidade, além de apoiar a qualificação e capacitação de profissionais para atender turistas com deficiência.  Como parte do Programa Turismo Acessível, a Pasta disponibiliza o Guia do Turismo Acessível, site colaborativo onde os internautas podem avaliar a acessibilidade de hotéis, restaurantes e atrações diversas, em português, espanhol e inglês.

Até o momento, o site obteve mais de 455 mil acessos. Por tratar-se de um guia colaborativo, quanto maior o número de avaliações, mais completo será. O Guia Turismo Acessível também está disponível por meio de aplicativo para dispositivos móveis, nos três idiomas, e pode ser baixado gratuitamente na loja da Windows Phone, Apple Store e Google Play.

Turistas movimentam comércio no Boulevard Olímpico

Sucesso de público e de vendas, novo atrativo turístico movimenta a cidade e aumenta faturamento de comerciantes da região

  • Publicado: Quarta, 07 de Setembro de 2016, 07h51
  • Última atualização em Quarta, 07 de Setembro de 2016, 08h37

Por Geraldo Gurgel


Boulevard Olímpico. Foto: Diego Campos

A Paralimpíada no Rio de Janeiro terá início nesta quarta-feira (07) e a expectativa é de que o Boulevard Olímpico, localizado na Zona Portuária do Rio de Janeiro, volte a ser palco do encontro das torcidas que irão acompanhar as mais de 500 provas em 28 modalidades na competição. Durante a Olimpíada, o local recebeu o espantoso número de quatro milhões de visitantes, o que provocou um aumento significativo no comércio da região. O trecho revitalizado de mais de três quilômetros é o exemplo típico de como o turismo gera emprego e renda. A programação cultural entre os dois períodos de jogos e a grande concentração de atrativos, como o Museu do Amanhã, tem multiplicado os negócios dos prestadores de serviços e comerciantes instalados na área.

A área renovada está tomada de atrações, entre elas a Casa Brasil, que já recebeu mais de 360 mil visitantes. A nova área de lazer é ponto de encontro de turistas brasileiros e de outras nacionalidades no centro do Rio de Janeiro. O espaço de passagem de trabalhadores pelo centro da cidade se transformou em atrativo e área de concentração e turistas. Com os novos clientes, o faturamento das lojas em um único dia chega a dobrar e até triplicar. Até o horário de trabalho mudou para atender a demanda dos turistas e ampliar o faturamento.


Casa Brasil. Foto: Paulino Menezes
 

O dono de restaurante, Hugo Couto, conta que desde que a área começou a ser revitalizada é só alegria. Uma mesa na calçada com degustação de caipirinha para quem passa na porta do restaurante é o chamariz de turistas. Se antes o comércio abria apenas para o almoço, desde o início de agosto ele viu o negócio crescer com os turistas olímpicos. “Crescemos as vendas em 60%. Apesar do recesso das empresas, em função dos jogos, os turistas supriram a falta dos clientes tradicionais. A procura até superou nossas expectativas”, relata animado.

Por conta do aumento da clientela, o restaurante de grelhados passou a servir jantar e contratou novos funcionários para atender a nova demanda. “Espero que o Boulevard se torne um atrativo com eventos permanentes e possamos manter o horário noturno após a Paralimpíada”, diz.


Casa Brasil. Foto: Paulino Menezes
 

Já no calçadão, por onde transitam milhares de turistas e cariocas diariamente, os Food Trucks continuam com filas. Em um deles são vendidas mais de mil empanadas argentinas por dia. A gerente Brena Lima disse que nem a matriz do negócio, no bairro da Gávea, área nobre do Rio, supera as vendas no Boulevard. “Foi o nosso melhor evento até hoje. Espero retomarmos o pique de vendas com os jogos paralímpicos”, disse. Os turistas argentinos estão entre os que mais contribuem para formação de longas filas no caixa.

A região da zona portuária Carioca tem tudo para se afirmar como ponto turístico, mesmo após os jogos. O local já abriga, entre outros atrativos permanentes, os museus de Arte do Rio (MAR), além da Igreja da Candelária e das praças Quinze e Mauá de onde partem e chegam as balsas que cruzam a Baia da Guanabara. Vale lembrar que durante a Olímpiada, a gastronomia foi avaliada positivamente por 93,6% dos turistas estrangeiros, segundo pesquisa do Ministério do Turismo.

 

Conheça os cinco cenários do futebol olímpico no Brasil

Conheça os cinco cenários do futebol olímpico no Brasil

Publicado: Quarta, 03 de Agosto de 2016, 14h59 | Última atualização em Quarta, 03 de Agosto de 2016, 15h00

 

Praias, complexos arquitetônicos tombados pela Unesco e a biodiversidade brasileira estão entre os atrativos que poderão ser contemplados durante a competição

 Por Pedro Fideles
 

Rio de Janeiro (RJ). Foto: Divulgação/Embratur

Rio de Janeiro (RJ). Foto: Divulgação/Embratur


As partidas de futebol dos Jogos Olímpicos Rio 2016 terão início nesta quarta-feira (3) com partidas disputadas em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A bola também vai rolar nos gramados de Salvador, Manaus e Brasília, dando a oportunidade para os visitantes brasileiros e estrangeiros conhecerem um pouco mais da diversidade cultural e das riquezas da flora e fauna encontradas no país. Assim, o viajante poderá se deixar encantar por cenários típicos da Amazônia, do Cerrado, da Caatinga e da Mata Atlântica. A Agência de Notícias do Turismo apresenta um pouco mais sobre os cenários visitados pela competição.


Brasília

Brasília (DF). Foto: Divulgação/Embratur

Brasília (DF). Foto: Divulgação/Embratur
 

Os turistas que viajarem para a capital federal para assistir aos jogos poderão conhecer a rica biodiversidade do Cerrado composta por mais de 11 mil espécies de animais e vegetais, e preservada nos parques espalhados por toda a cidade, além de seu Jardim Botânico. A frutas típicas da região também destacam-se na gastronomia, como o cajuzinho-do-cerrado e o pequi. No âmbito cultural, os visitantes podem contemplar os edifícios e monumentos arquitetônicos do Plano Piloto de Brasília, tombado como Patrimônio Cultural da humanidade pela Unesco em 1987.


Belo Horizonte

Belo Horizonte (MG). Foto: Divulgação/Embratur

Belo Horizonte (MG). Foto: Divulgação/Embratur
 

A transição do Cerrado para a Mata Atlântica compõe os cenários naturais da capital mineira, e pode ser contemplada na Serra do Curral e no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, inaugurado em 1897 com 182 mil metros quadrados de área. Durante o passeio pela região Norte da cidade, os visitantes podem conhecer o Conjunto Moderno da Pampulha, tombado em julho pela Unesco e que tem entre seus atrativos a Igreja de São Francisco, o Museu da Pampulha, o Iate Clube e a Casa do Baile.


Rio de Janeiro

Rio de Janeiro (RJ). Foto: Divulgação/Embratur

Rio de Janeiro (RJ). Foto: Divulgação/Embratur
 

As reservas de Mata Atlântica como a bela Floresta da Tijuca estão entre os atrativos turísticos que se destacam na cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016 pela beleza das paisagens naturais e pela diversidade de espécies endêmicas da região. O Cristo Redentor e as praias de Copacabana e Ipanema são alguns dos cartões postais do Rio de Janeiro que são reconhecidos internacionalmente como atrativos culturais e de lazer.


São Paulo

São Paulo (SP). Foto: Divulgação/Embratur

São Paulo (SP). Foto: Divulgação/Embratur
 

A Mata Atlântica também é o bioma predominante na capital paulista, reconhecida como o destino brasileiro mais visitado por turistas brasileiros e estrangeiros motivados por negócios, eventos e convenções. O Parque Ibirapuera é um dos pontos turísticos mais procurados por moradores e turistas e oferece diversas opções para quem quer aproveitar um dia ao ar livre. Para os amantes da arquitetura moderna, a Casa de Vidro é parada obrigatória. A construção foi o primeiro projeto da arquiteta Lina Bo Bardi, em 1951. O jardim da Casa de Vidro ocupa uma área de 7 mil m² e expressa o amor de Lina e do marido, Pietro, pela riqueza natural brasileira.


Salvador

Salvador (BA). Foto: Divulgação/Embratur

Salvador (BA). Foto: Divulgação/Embratur
 

Na Bahia, os visitantes poderão conhecer a vegetação típica de três biomas brasileiros, sendo o Cerrado no extremo oeste do estado, a Caatinga nas regiões central e norte, e a Mata Atlântica na região litorânea. No âmbito cultural, Salvador tem como destaque entre seus atrativos o Centro Histórico tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 1985, que preserva casarões, palácios e igrejas do período colonial.


Manaus

Manaus (AM). Foto: David Rego Jr.

Manaus (AM). Foto: David Rego Jr.
 

Os jogos de futebol olímpico também enaltecerão a Amazônia, o maior bioma do Brasil. Em um dia de passeio pela capital do Amazonas é possível contemplar o encontro das águas dos rios Negro e Solimões que formam a bacia amazônica, fazer trilhas pela floresta para conhecer de perto a biodiversidade da região, conhecer o polo industrial da Zona Franca de Manaus e degustar os pratos típicos da gastronomia local, como o tacacá, a tapioca e o x-caboquinho, um tipo de sanduíche com tucumã, queijo coalho e banana frita.

INVESTIMENTOS – O Ministério do Turismo já investiu R$ 625,3 milhões em obras de desenvolvimento da infraestrutura turística nas cidades de São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro, Manaus, Belo Horizonte e Brasília, que sediarão os jogos de futebol da Olimpíada Rio 2016, como a implantação de sinalização turística, urbanização e reforma de atrativos turísticos.